segunda-feira, 21 de junho de 2010

Os contos de fadas como recurso na arteterapia

Um dos recursos que utilizamos para fazer a sensibilização nos encontros arteterapeuticos, são os contos de fadas. Acredito que os contos de fadas por trazerem em suas histórias conteúdos universais, e por usarem de diferentes simbologias, e arquétipos para nos transmitir suas mensagens, são uma ótima ferramenta para o trabalho com arteterapia.

Bettelheim (1986), fala que:“O conto de fadas procede de uma maneira consoante ao caminho pelo qual uma criança pensa e experimenta o mundo; por esta razão os contos de fadas são tão convincentes para ela”.

Ao trabalhar com os contos e arteterapia, vejo muitas possibilidades de levar as pessoas à buscarem novos caminhos, resgatarem antigos sentimentos, enfim fazer com que cheguem até seu Eu Interior, e desta forma atinjam o crescimento pessoal tão almejado por todos nós. .

Bruno Bettelheim explica que é a partir dos enredos dos contos que os processos internos, são exteriorizados, tornando-se compreensíveis,pois as ações e atitudes dos personagens, representam situações que podem ser vividas por qualquer individuo. O interessante neste processo é que cada individuo apreende do conto de fadas o que está precisando para sua vida, de acordo com o momento que esta vivenciando, desta forma retira das histórias, ainda que inconscientemente, o que possa aproveitar para sua vida.

Nos contos de fadas, por meio de bruxas, monstros, fadas, as crises psico sociais de crescimento são simbolicamente representadas. Quando nos identificamos com um conto, é que neles encontramos o que buscamos inconscientemente, resolver nossos problemas , ou seja, a busca de segurança proteção e não só o admiramos pelo belo ou não.

Franz (apud Moreno 2004 p.24) afirma que ao estudar os contos de fadas poderemos entender as estruturas básicas do ser humano, pois através dos contos podemos trazer à tona processos que até então estavam no nosso inconsciente, fazendo a ligação do inconsciente com o consciente. Sendo assim, podemos usar os contos para trabalhar com as diferentes faixas etárias, assim como com grupos de mães, de adultos, enfim, acredita se que todos podem se beneficiar com o trabalho arterterapeutico que tem os contos de fadas como recurso.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Oficina: Tecendo sonhos

Nesta oficina trabalhamos com os sonhos que todo ser humano tem , usamos o conto da “ A moça tecelã . e tecemos os sonhos em junta.

Os sonhos foram bordados e depois conversamos sobre as reais possibilidades de sua realização.



O que é criatividade?

Existem várias maneiras de se responder a esta questão, uma delas nos faz pensar que a criatividade é tudo que está entre o caos e a harmonia.

Ainda podemos dizer que o ato criativo atinge uma nova capacidade de compreender o outro, a si mesmo, e as coisas; re configurando os espaços re significando as situações.

A criatividade vai nos possibilitar ter outros focos de olhar sobre um mesmo objeto, uma mesma situação, um mesmo sentimento, sendo assim, ser criativo implica em transformar, rever, e desta forma se re estruturar se a partir deste novo olhar.

Faya Ostrower considera criar mais do que inventar, é dar ao que temos já integrados um novo enfoque, é pois acrescentar algo, ampliar, assim é mais abrangente,pois parte das experiências vividas por cada pessoa.

É neste processo que se dá o crescimento pessoal, o qual não acontece de maneira harmoniosa, tem altos e baixos, mas ele nos dá possibilidade de ampliar e o aprofundar nosso ponto de vista, em relação a diferentes situações.

Sabemos que a criatividade é importante nos dias atuais, pois hoje o homem está muito voltado para o racional, e o criativo nos conecta com o intuitivo, permitindo um dialogo entre o nosso interior e exterior.

É importante realçar que não há tempo definido para o crescimento pessoal, ele ocorre durante toda a nossa existência.

O processo arteterapêutico visa trabalhar com este ser criativo que existe na criança, no adolescente, no adulto e no velho, pois em qualquer faixa etária podemos transformar, inventar, e assim crescer criativamente.

O trabalho com mães de crianças com doenças crônicas

Percebe-se que com o nascimento de uma criança com N.E.E ou com uma doença crônica, a estrutura familiar se fragiliza, a mãe é a pessoa que mais sente esta mudança, visto que terá que se desdobrar com os cuidados a esta filho (a). Sendo assim este trabalho é de suma importância para a família e para a instituição na qual esta criança é atendida.

A arteterapia em centros de reabilitação ou a centros onde se atende a esta população tem por objetivo trabalhar com emoções, sentimentos resgatando e re-estruturando a auto-estima, o autoconhecimento, a autoconfiança e a autonomia. Sendo assim com a introdução da arteterapia vinculada a áreas da saúde como: fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia acompanhamentos médicos , estaremos estendo o atendimento que passará a ser mais amplo, pois deixaremos de atender e cuidar só da criança, mas o estenderemos para seu principal cuidador - a mãe.

O atendimento arterterapeutico visa, portanto desenvolvimento da auto-estima, confiança, autoconhecimento e a maior conscientização do seu papel de mãe e mulher. Buscando trabalhar com as mães como um ser único.

Trabalhando com grupo de mães, estaremos possibilitando a re estruturação da sua vida, resgatando a mulher / mãe que existe nelas, conscientizando as da sua tarefa. Acredita-se que com o fortalecimento das mães a estrutura familiar aos poucos vai se equilibrando. Usando a arte como facilitadora, visando à transformação interna, melhorando a relação consigo mesmo e com o outro.

Para tanto nos valemos de materiais como: tinta, argila, cola lápis de cera e cor, papéis diversos, massa de modelar, os quais são usados nas colagens, pinturas, montagens, esculturas. Este trabalho é composto de três momentos a sensibilização, a proposta e o encerramento. O intuito é deixar que a arte se encarregue de trabalhar e resgatar sentimentos e emoções que vão sendo trazidos à consciência e elaborados pelas mães.

Acreditando que quando a mãe esta equilibrada e estruturada, provavelmente estará dando mais carinho e atenção, lidando melhor com esta criança.

Conhecendo a arteterapia

Arteterapia envolve duas palavras que se completam muito bem, Arte e Terapia, a partir destas duas palavras podemos definir arteterapia como sendo o uso da arte a serviço de um processo terapêutico, onde através da expressão verbal e ou não verbal, estaremos trabalhando com diferentes formas de auto conhecimento , e portanto crescimento pessoal.

Uma definição de arteterapia aprovada pela Associação Americana de Arte Terapia, data de 29 de março 2003 e diz que:

"A arteterapia está baseada na crença de que o processo criativo envolvido no fazer arte é curativo aumentando a qualidade de vida. Criar arte e comunicá - la é um processo que quando realizado junto com um arteterapeuta, permite a qualquer pessoa uma ampliação de sua consciência.E, assim ela enfrenta seus sintomas, seu estresse e suas experiências traumáticas com habilidades cognitivas reforçadas, para então, desfrutar os prazeres da vida que se confirma, artisticamente, criativa."( AATA, 2003).

Para realizar um trabalho arterapeutico vamos buscar; nos recursos e nos processos criativos de cada individuo as respostas e soluções criativas para os seus conflitos angustias e incertezas e aflições.

Podemos então definir o processo criativo como sendo qualquer processo de pensamento que soluciona um problema de modo original e útil.

Se acreditamos que é importante o resolver problemas no nosso dia a dia, a arteterapia ao utilizar os diferentes recursos, busca uma nova maneira para resolver nossas dificuldades, mostra um novo olhar sobre problemas já estabelecidos , ampliando a visão , e desta forma favorece aos indivíduos o seu ato conhecimento , sua autonomia e seu poder de decisão , por certo não há como =mudar a realidade , porem há como olha –la com outros olhos , vendo novas e reais possibilidades de viver com ela.

Para isso a arteterapia utiliza diferentes recursos; artes plásticas (pintura, desenho, modelagem), as artes corporais (dança e teatro), a música (com utilização de instrumentos musicais, voz/canto ou audição musical), os fantoches/marionetes, contos de fadas, a escrita livre e criativa, entre outros , os quais vão ser os meios pelos quais cada participante irá trazer a tona seus desejos , angustias , alegrias , pois ao se expressar através da arte estará trazendo seus simbolismos, que aos poucos vão sendo trazidos a consciência e integrados.

Por Arteterapia, portanto entende – se:

Um processo terapêutico que ocorre através da utilização de diferentes modalidades expressivas. Estas atividades artísticas trazem em si o simbolismo, expressas através de pinturas, colagens, uso das cores e das formas, dos desenhos, trabalhos com argila entre outros.

Coutinho faz algumas colocações interessantes a respeito do ato criativo e da criatividade. Jung coloca que o processo criativo consiste na atividade do inconsciente coletivo ou pessoal. Consiste na ativação inconsciente do arquétipo, no seu desenvolvimento e na sua tomada de forma até a realização da obra perfeita.

Sendo assim podemos afirmar que a criatividade é única, e difere para cada individuo, pois leva em conta as aptidões pessoais, talentos conhecimentos anteriores, seus interesses e habilidades.